Universidade Federal do Pará
Domingo, 20 de Setembro de 2020

Sugestões/Comentários

Quem está Online?

Nós temos 15 visitantes online

Quantos Viram Isto?

Visualizações de Conteúdo : 385618

Home Produções Científicas Produções Científicas-74

FERREIRA, João Batista; SAUCK, William August. Eletroresistividade e magnetometria aplicadas ao mapeamento dos corpos graníticos de Miraselvas, Pará. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA, 31., 1979, Fortaleza. Resumos... Fortaleza: SBPC, 1979.  p. 455.

RESUMO

A região em estudo apresenta as seguintes características: 95% da área está coberta por sedimentos Cenozóicos; encontram-se apenas dois afloramentos de granitos e um de filitos, considerados como do embasamento Pré-Cambriano; a região é plana e de alto índice pluviométrico, o que em pouco tempo inviabiliza a exploração das pedreiras, devido a formação de lagoas nas mesmas. A escolha dos métodos geofísicos de eletroresistividade e magnetometria, juntamente com sondagem mecânica, teve a finalidade de estudar a continuidade dos granitos em subsuperfície; mapear a Paleotopografia do embasamento; conhecer a espessura dos sedimentos Cenozóicos; conhecer a distribuição das litologias do Pré-Cambriano. Para tanto, foram realizadas vinte Sondagens Elétricas Verticais (SEV), arranjo Schulumberger com espaçamento máximo (AB/ 2) = 500 m e com densidade de 1 sondagem/ 2, 5 km2. O levantamento magnético foi realizado com magnetômetro de campo total, sendo feito ao longo das vias de acesso disponíveis e permitindo grande densidade de dados. Foram feitos alguns furos, em local escolhido, para confirmação dos resultados obtidos através da geofísica. Os resultados do método de eletroresistividade mostraram anomalias de baixa resistividade, na maioria das SEV, o que levou a estabelecer o modelo geológico de uma topografia ondulada, no embasamento, preenchida por sedimentos Cenozóicos. Os resultados da magnetometria mostraram baixos magnéticos sobre os filitos e altos magnéticos sobre os granitos, o que tornou evidente o seu contato. Pode-se, assim, mapear os granitos, com boa aproximação, quanto à sua continuidade em subsuperfície.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Qual a sua avaliação para o CEMIG?
 
© 2012 - Instituto de Geociências - Universidade Federal do Pará
Centro de Memórias do Instituto de Geociências
Tel: (91) 3201-7476 • E-mail: cemig@ufpa.br