Universidade Federal do Pará
Domingo, 20 de Setembro de 2020

Sugestões/Comentários

Quem está Online?

Nós temos 16 visitantes online

Quantos Viram Isto?

Visualizações de Conteúdo : 385620

Home Produções Científicas Produções Científicas-81
Produções Científicas-81

HOOKER, Enrique Campbell; SAUCK, William A. Polarização induzida e magnetometria aplicada à prospecção de cobre na área MMl, Serra dos Carajás, Pará. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA, 31., 1979, Fortaleza. Resumos... Fortaleza: SBPC, 1979.  p. 457.

RESUMO

Através de um convênio entre a Cia. DOCEGEO e o NCGG realizaram-se trabalhos geofísicos na área MMl, Serra dos Carajás. O objeto deste trabalho foi testar vários métodos geofísicos nesta área piloto, visando escolher os melhores para futuros trabalhos de prospecção neste ambiente geológico e físico. Este estudo informa sobre os resultados obtidos com AFMAG, Polarização Induzida e Método Magnético em uma área de reconhecimento de cerca de 9 km2 e uma área de detalhe de 1 km2 com controle através de furos com sondagens e mapeamento geológico preliminar. O método AFMAG mostra um bom condutor principal indicativo da localização da formação ferrífera com seus sulfetos associados. Cross-overs de ondulações menores podem algumas vezes ser correlacionados com falhas ou contatos. O tempo mais adequado para funcionamento do AFMAG é variável com as estações do ano. O tempo magnético total usualmente mostrou uma anomalia bem acentuada sobre a formação ferrífera, às vezes simples, porém frequentemente apresentando uma múltipla. Em algumas linhas, a polaridade da anomalia é reversa. Os padrões mais complicados surgiram nos perfis em que o Corpo-fonte estava alinhado com o meridiano magnético, ou onde provavelmente houve remagnetização por intrusão granítica o padrão magnético é indicativo da formação ferrífera, porém, em nível de detalhe há ambiguidades. O IP mostrou anomalias variáveis na zona de interesse, que em conjunto com as informações de furos de sondagens se constitui provavelmente no único método de superfície que pode dar uma indicação sobre o teor da mineralização de sulfetos. Uma possível ambiguidade ainda não resolvida é a contribuição relativa da magnetita à anomalia de AFMAG e polarização induzida.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Qual a sua avaliação para o CEMIG?
 
© 2012 - Instituto de Geociências - Universidade Federal do Pará
Centro de Memórias do Instituto de Geociências
Tel: (91) 3201-7476 • E-mail: cemig@ufpa.br