Universidade Federal do Pará
Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020

Sugestões/Comentários

Quem está Online?

Nós temos 58 visitantes online

Quantos Viram Isto?

Visualizações de Conteúdo : 375450

Home Dissertações Dissertações 1986 - QUEIROZ, Joaquim Carlos B.

 

QUEIROZ, Joaquim Carlos B. Estudo de anomalias eletromagnéticas de um condutor tabular vertical sobre camadas parcialmente condutiva em multifrequência e multi-separação através de modelamento analógico. 1986, 99f. Dissertação (Mestrado em Geofísica)- Curso de Pós- Graduação em Ciências Geofísicas e Geológicas, Universidade Federal do Pará, Belém, 1986.


RESUMO

A resposta eletromagnética (EM) de um corpo condutivo envolvido por uma zona parcialmente condutiva torna-se bastante diferente daquela de um corpo condutivo em um meio altamente resistivo. As zonas parcialmente condutivas, como por exemplo, rocha encaixante, halo de sulfetos disseminados ou manto de intemperismo, que envolvem o corpo condutivo, afetam a resposta EM de diferentes maneiras, dependendo de suas características físicas e geométricas e, em particular, do sistema de prospecção EM utilizado.

Neste trabalho em modelamento analógico, foi feita uma analise de anomalias EM provocadas por corpos condutivos tabulares verticais sob manto de intemperismo, em levantamentos terrestres para diferentes sistemas de bobinas - horizontais coplanar, vertical coplanar e vertical coaxial - em oito frequências na faixa de 250 Hz a 35 kHz e separações entre as bobinas de 0,15; 0,20 e 0,25m.

O manto de intemperismo foi simulado por folhas de aço finas dispostas horizontalmente e o corpo condutor principal por folhas de alumínio finas colocadas verticalmente. As dimensões das folhas foram determinadas de acordo com as condições de modelamento para o plano e o semi-plano.

Foram utilizados três corpos e três mantos com diferentes espessuras e condutividades, simulando, deste modo, diversos situações geológicas. Os resultados mostraram que cada sistema de bobinas é afetado diferentemente pela presença do manto de intemperismo.

Para a analise dos resultados foi plotado um conjunto de diagramas considerando os valores pico-a-pico das anomalias ênfase e em quadratura, outro conjunto de diagramas mostra as amplitudes máximas em fase, que ocorrem quando a componente em quadratura se anula em uma frequência relativamente baixa para um conjunto de corpo-manto, e as amplitudes máximas em quadratu­ra, que ocorrem quando a resposta em fase atinge um mínimo próximo de zero, em frequências relativamente altas. Com isto foi possível conhecer a faixa de frequências para cada sistema de bobi­nas, onde a resposta EM se encontra o mínimo afetada pela presença do manto de intemperismo            A maior amplitude na resposta é obtida no sistema hori­zontal coplanar e a menor no sistema vertical coplanar. Um aumento na separação entre as bobinas é acompanhado por um deslocamento da anomalia para baixas frequências. A faixa de frequências, onde a presença do manto tem pouca influência na resposta do corpo condutivo, e maior para o sistema vertical coaxial e menor para o sistema horizontal coplanar.

Esses resultados dão uma luz para o conhecimento da posição e da largura da banda de frequências utilizável, assim como as melhores separações entre Transmissor-Receptor, para auxiliar no planejamento de sistemas de prospecção EM, de modo que a res­posta fique o mais livre possível de sinais indesejáveis, tais como os causados pela presença do manto de intemperismo.

 

Texto Completo

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Qual a sua avaliação para o CEMIG?
 
© 2012 - Instituto de Geociências - Universidade Federal do Pará
Centro de Memórias do Instituto de Geociências
Tel: (91) 3201-7476 • E-mail: cemig@ufpa.br