Universidade Federal do Pará
Segunda-feira, 28 de Setembro de 2020

Sugestões/Comentários

Quem está Online?

Nós temos 125 visitantes online

Quantos Viram Isto?

Visualizações de Conteúdo : 387623

Home Produções Científicas Produções Cientifícas-38

CAVALCANTI, Gerardo Majela L.; SAUCK, William A.; RIJO, Luiz. Geofísica aplicada à prospecção de água subterrânea na área do Rio Paracauari, Ilha de Marajó, Pará. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 30., 1978, Recife. Resumos... Recife: Sociedade Brasileira de Geologia, Núcleo Nordeste, 1978, boletim 1, p. 354.

RESUMO

A região do rio Paracauarí (300 km2) apresenta sérios problemas hídricos devido o excesso de chuvas no inverno (Janeiro-Julho) e escassez de água no verão (Agosto-Dezembro). Com o objetivo de solucionar o problema da seca durante o verão, foram realizados estudos geofísicos através do método de resistividade para localizar e mapear os aquíferos de boa potencialidade. Foram efetuadas 53 Sondagens Elétricas Verticais (SEV), do tipo Schlumberger e 5 Sondagens Elétricas Horizontais do tipo Wenner. Estas últimas foram realizadas para verificação do comportamento dos sedimentos com respeito a variação lateral da litologia. A interpretação das SEV foi feita em duas etapas: através da técnica do ponto auxiliar; através de ajustes sucessivos usando modelos gerados no computador. A interpretação dos dados obtidos revela a existência de duas áreas distintas: áreas topograficamente altas (1 a 2 m de desnível) com predominância de areias, apresentando resistividade entre 20 e 300 ΩM. Estas áreas, com espessuras de 10 a 35 metros constituem excelentes aquíferos e provavelmente trata-se paleocanais. Sete poços já foram perfurados nestas áreas, tendo como base os resultados desta pesquisa. Como consequência, já foram parcialmente solucionados os problemas de água das fazendas: São Lourenço, Gavinho e Conceição. As áreas dos paleocanais são limitadas por áreas de resistividade muito baixa (0,5.6 ΩM), onde predomina sedimentos argilosos, siltiticos contaminados com água salgada. Evidentemente, estas áreas que constituem 75% da área prospectada, é desfavorável a exploração de água subterrânea.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Qual a sua avaliação para o CEMIG?
 
© 2012 - Instituto de Geociências - Universidade Federal do Pará
Centro de Memórias do Instituto de Geociências
Tel: (91) 3201-7476 • E-mail: cemig@ufpa.br